Arquivo para julho de 2012

Rio e reino do Brasil

-I-
E esta cidade pertencia ao antigo Reino do Brasil, esta terra há muito tempo “descoberta” e que permanecerá como promessa para o futuro durante tanto tempo, ali havia talvez excesso de febre e de expectativa, mas realizações sólidas, poucas.Sempre que se pensava neste país no exterior surgia a imagem de sua extensão imensa, em suas antigas estradas para cavalos, nunca cobertas de pedra, neste litoral onde durante muito tempo se limitara “a civilização” e principalmente neste reino enorme da burocracia, dos papéis das ordens que uma tradição absolutista perpetuara e que cobriam todas as cidades e vilas e todo o mapa do país de norte a sul…
Ii
Este lugar do qual se diz que não se verá nenhum igual a ele-

JASPER JOHNS E ROBERT RAUSCHENBERG

Chamados de neo-dadaistas quando triunfava o expressionismo abstrato Jasper Johns e Robert Rauschenberg incluiam representações gritantes por seu carater literal nas suas telas.Como os ready-made de Duchamp davam o estatuto de arte a objetos comuns. Elevavam o objeto a dignidade da coisa segundo a forma da sublimação para Lacan. As Three Flags de 1958 deste artista nascido em 1930 se destacam como o Bed de Rauschenberg.

Na Tijuquinha, bairro próximo do Itanhangá, falta um parque para crianças pequenas.

Bairro muito populoso, muito movimentado, que funciona vinte e quatro horas por dia, onde até duas horas da manhã em bares, Restaurantes e lanchonetes as pessoas se alimentam e conversam, não ha áreas de lazer para as crianças. Zélia, que mora lá e tem um neto muito inteligente e ativo tem que levar Bruno Daniel para a Freguezia e o Barrashopping de ônibus.Este bairro é uma imagem do novo Brasil, com uma população que ascende para a nova classe média, em um espaço onde há condomínios fechados, ruas com mil defeitos de uma expansão urbana descontrolada. O que a prefeitura constroi não ajuda e atividades humanas como o lazer mínimo das crianças não pode ser satisfeita.

Palazzo Colonna em Roma

Os começos do palazzo Colonna situavam-se em um dos pontos centrais da vida urbana de Roma . Estava localizado desde sua origem medieval em uma torre.Pertencia aos Conde Tuscolo senhores de Roma por volta do ano 1000.A familia Colonna que deles descende vai participar dos conflitos dos barões que agitam a cidade por séculos e vai colocá-los em oposição aos Papas.Durante o tumultuado papado de Bonifácio ViII os Colonnas se opuseram ao pontifice que se refugiou na Torre delle Milizie. Quando o papado se deslocou para Avignon sob a hegemonia de Philippe o Belo os Colonna passaram de novo a exercer grande poder em Roma.

Renzo Piano

O livro de Philip Jodidio -Renzo Piano Building Workshop, 1966 to the Present explora a obra de Piano , múltpla e inovadora nos seus projetos mais novos.

Zaha Hadid

Esta arquiteta iraquiana que tem seu escritório em Londres, é alguem que rompe com o privilégio da linha reta, de uma racionalidade quadrada. Não se trata do privilégio do círculo.Ela fez o magnifico projeto do centro de Performing Arts de Abu Dhabi.
Fala de seu conhecimento dos projetos de Niemeyer no livro de Mathieu Salvaing.

Tadao Ando

No grande livro dedicado a Niemayer pela editora Assouline Tadao Ando fala do significado revolucionário da casa que Niemeyer construiu na Estrada das Canoas em São Conrado

Shigeru Ban

Este arquiteto contemporâneo desejaria fazer um projeto de Museu no Brasil. Foi convidado a fazer uma obra com troncos de árvores apreendidas na Amazônia. Taschen publicou um grande livro sobre seus projetos escrito por Pilip Jodidio.

Mario de Andrade e Lasar Segall

Escrito para uma exposicão este texto sobre Segall.” Alma triste Banhada de eternidade , pintura fortemente sensível são formas com que Mário avalia a obra e a figura de Segall. E a experiência brasileira de Segall é para Mário seu momento mais curioso.

Mario de andrade e o Aleijadinho

Mario de andrade escreveu uma pequeno ensaio sobre o aleijadinho que chamou “O Aleijadinho e sua posição nacional” publicada no livro O Aleijadinho Alvares de Azevedo em 1935. É o que se poderia chamar uma referência freudiana, a do mal estar que ele caracteriza uma época da história nacional brasileira, a que vai de 1750 a 1830. É a entidade nacional que para Mario de Andrade atravessa um período de mal estar. Mario de Andrade refere-se a produções grandiosas de sua ” significação histórica e social. São a Guerra Holandesa, a ação dos Bandeirantes, a obra de Gregório de Mattos e a Igreja e o convento de São Francisco na Bahia.
Na deformação do Aleijadinho Mario de Andrade vê uma liberdade extraordinária.
A obra do Aleijadinho possui dois períodos fundamentais?O que as separa é a enfermidade. Ela vai se traduzir na segunda fase numa mutação expressiva.
A deformação das figuras no Aleijadinho Mario de Andrade também a vê na escultura gótica francesa.
Para Mário o Aleijadinho ” é a solução brasileira da Colônia. É uma fórmula síntese do zeigeist hegeliano, do espírito da época do Brasil colonial.