Arquivo para junho de 2012

A Educação superior como fator de hegemonia-a avaliação da universidade Jao Tong de Shangai

Segundo a avaliação da Universidade Jao Tong de Shangai 8 das das melhores universidades do mundo são norte americanas. Entre as vinte primeiras 17 são norte americanas. São estas instituições que garantem os meios e o know how para a a primazia econômica e militar através da inovação e criação de produtos. Estes garantiriam a sociedade americana o pioneirismo das industrias do futuro Esta é a conclusão de Brzezinski da avaliação chinesa.

Brzezinski e a guerra do Afganistão e do Iraque -a mais longa guerra imperial dos Estados Unidos

O crash, a crise de 2007 teve o efeito de produzir o imperativo de repensar alguns dos pressupostos básicos do sistema e do modo de pensamento dos Estados Unidos, ética assim como de suas políticas sociais, Brzezinski pensa que o 11/07/2001 deveria levar os Estados Unidos a repensar também se soube se posicionar frente a extraordinária oprtunidade produzida pelo fim da Guerra Fria.Brzezinski lembra que agora é fácil esquecer quão ameaçador foi o período que se seguiu a segunda Guerra Mundial. Período que se estendeu por quatro décadas e meia.O cenário possível de uma guerra nuclear que poria fim a hegemonia americana e destruiria pelo fogo atômico parte importante dos Estados Unidos e da União Soviética só foi possível pela conduta” racional” de alguns sujeitos políticos, frágeis sujeitos humanos.Esta racionalidade deve ser confrontada a loucura da estratégia nuclear mesma que na fórmula MAD -máxima destruição assegurada- não esconde sua secreta afinidade com a loucura ou com o gozo destrutivo da pulsão de morte.
Com a implosão da União Soviética em 1991 os Estados Unidos gozavam de uma posição ímpar de suprema e única superpotência. A posição internacional americana não enfrentava qualquer desafio. Frente a Europa não era o medo comum ao sistema soviético mas a confiança numa comunidade de interesses transatlântico que se consolidava. Com efeito se esperava a ampliação da União Européia que se dotaria de maior unidade política. No Extremo Oriente o mais próximo aliado americano , o estado japonês alcançava na esfera internacional uma posição de eminência. Os temores de que o superjapão iria se apropriar das propriedades norte americanas se dissipou. As relações com a China melhoraram depois do reconhecimento pelo governo Carter em 1978 quando Brzezinski era o conselheiro de segurança nacional. Os chineses passaram inclusive a opr-se a ocupação soviética do Afganistão tornando-se parceiros dos americanos.A China por seu atrazo interno era vista de firma complacente, isto é, por seu subdesenvolvimento o Estado chinês seria incapaz de tornar-se um competidor dos Estados Unidos por muito tempo ainda.
Em 2011 as guerras que os Estados Unidos fazem no Afganistão e no Iraque estão entre as mais longas da história americana em número de meses de combate.
Foram 20 semanas de atividade bélica na primeira guerra mundial, 37 na Coréia, 45 durante a Segunda Guerra Mundial, 96 meses no Iraque, 102 no Vietnam e 112 no Afganistão. A primeira guerra do Iraque durou dois meses, o conflito com o México 21 meses, a guerra contra os inglêses em 1812 32 meses, a guerra civil 48 meses e a guerra da Independência 100. A guerra contra a Espanha se prolongou por 3 meses e a insurreição filipina 30.
A segunda guerra mais longa foi a segunda invasão militar do Iraque decidida pelo presidente Bush com a acusação feita sem provas de que o Iraque desenvolvia armas de destruição de massa. Apoiado pelo primeiro ministro Tony Blair, por Israel era vista de forma cética pela maioria dos americanos. A evidência das acusações feita pelo governo republicano se evaporaram desde que os Estados Unidos ocuparam o Iraque. Blix o inspetor da ONU alertara sobre a falta absoluta de fundamento das acusações de Bush, mas ele levou adiante sua política bélica que afirmava ser possível aos Estados Unidos conduzir duas guerras simultaneamente. Brzezinski observa que o entusiasmo de Bush concentrava-se no Iraque relegando a segundo plano a guerra no Afganistão.guerra absolutamente inútil e que deveria ter sido evitada. Foi uma guerra a que Bush deu mais importância do que a anterior e que Brzezinski acha justificável frente ao ataque feito por Al Quaeda contra Nova York, o pentágono e mesmo a Casa Branca .Frente as necessidades do Afganistão a guerra tornou-se mais longa, mais sangrenta e do ponto de vista geopolítico mais complexo principalmente pelos efeitos que teve sobre o Paquistão.
Foi um erro terem os Estados Unidos negligenciado o Paquistão depois da retirada dos soviéticos quando o país encontrava-se arrazado precisando de apoio econômico e de alcançar uma forma de estabilidade. Mas tanto Bush I quanto Bill Clinton nada fizeram e mostraram-se indiferentes a sorte do país.
O espaço afgão vai ser ocupado pelo Taliban, tendo como pano de fundo o Paquistão que desejava ter um pano de fundo geoestratégico contra a Índia. O Afeganistão vai acolher o taliban e diz Brzezinski “o resto é história”. Frente a isto só restou a resposta pela força.
O declínio do status global dos Estados unidos pelo envolvimento no conflitos na região ao mesmo tento desvia ameaças potenciaais a segurança russa, indiana e chinesa. A Rússia marcada pelo ressentimento, a China pela prudência enquanto vê seu poder ascender e a Índia pela ansiedade, digamos mesmo pela angústia.

Previsão do PIB do Japão e da Índia

PIB $ trilhão. —- Japão. -Índia
PIB 2010 $ trilhão. 4.54 1.13
PIB 2025 $ trilhão. 5.56. 3.80
PIB 2030. $ trilhão 5.79. 5.33
PIB 2050. $ trilhão. 6.22 15.38

Fonte Carnegie endowment for International Peace

Previsões do PIB dos Estados Unidos, União Européia, China

PIB(2005 $)trilhão E.U.A —- U.E. — China.
1-PIB-2010 trilhão. $13.15. $14.63. $3.64
2-PIB-2025 trilhão. $19.48. $19.10. $16.12.
3-PIB-2030 trilhão. $22.26. $20.34. $21.48
4-PIB-2050 trilhão. $ 38.65. $26.62. $46.27

Pela sua populacão esta previsão estima que por volta de 2030 o produto bruto chinês irá ultrapassar o norte-americano. Por outro lado em 2010 o PIB norte-americano era menor do que o europeu em 1.48 trilhões e em 2050 será 12,3 maior.

Fonte Carnegie endowment for International Peace