Arquivo para dezembro de 2010

Painéis de Cândido Portinari noTheatro Municipal do Rio de Janeiro

lorenzetti01guerra_e_paz-portinariGuerra e Paz está sendo exibida no Palco do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Como disse alguém no espaço em que se ouve Tchaikovsky, Stravinsky ou se vê e ouve Verdi ou Wagner está a pintura brasileira que decora o Palácio da ONU  em Nova York. temporariamente no Brasil para restauração, enquanto se restaura a ONU.  O apocalipse é o que mais impressiona. A guerra tem infinitas figurações. Em Picasso na época moderna com Guernica ou a guerra da Coréia. Batalhas de Paolo Ucello. Ou obras de Vieira da SilvaQuanto as artes da paz, prefiro o bom governo de Ambroggio Lorenzetti do Palácio público em Siena.

Priscila inseriu as telas.

CINÉPOLIS LAGOON – NA ZONA SUL UM NOVO ESPAÇO PARA O CINEMA

Vimos na segunda no novo espaço de cinema que está no antigo centro de remo da lagoa o filme de Pernas para o Ar. Novas slas – 6 ao todo como o cimark que começam as onze horas. A imagem dos filmes é de uma qualidade rara, superior aos outros cinemas. Mais impactante só 3D. e AS POLTRONAS S’AO EXTREMAMENTE CONFORTÃVEIS.

pOR OUTRO LADO UMA LINDA VISTA DA ELIPSE QUE FORMA A CURVA DA lAGOA SE DESCORTINA DOS ESPAÇOS ONDE ESTÃO AS BOMBONIERES. as instalações de banheiros n’ao est’ao ainda em perfeita forma. nem funciona ainda o sistema para cobrança do estacionamento- Por hora estar lá é gatuito.

Não é como muitas cidades de S”ao Paulo uma pequena pólis do Interior. Mas um novo espaço para a imagem do cinema no Rio. N”aso é Penápolisa Nao é também Rinópolis, Ou Petropolis. Ou Anapolis . Mas esta firma mexicana que entra agora no Brasil com estes nomes em inglês apresenta algo novo, se não para sonhar, mas para divertir-se com um imaginário mais sedutor.

Mas o preço da comida é muito caro. N’ao há p’ao de queijo mais caro na cidade. Ou jujuba….

VÍDEOS PRODUZIDOS POR ESTUDANTES – UMA INTERVENÇÃO NO RESULTADO DOS TRABALHOS NA UNIVERSIDADE – ELES NÃO VÃO MAIS PARA O LIXO. INTEGRAM-SE A REDE.

MEUS ALUNOS DE VÁRIOS CURSOS -SEJA DE AGRONOMIA, ZOOTECNIA, ENGENHARIA FLORESTAL, ENGENHARIA AGRONÔMICA, HISTÓRIA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS REALIZARAM MAIS DE 250 VÍDEOS. o VÍDEO SE INTEGRA A PEDAGOGIA NA UNIVERSIDADE BEM MELHOR QUE A TV. e AGORA INSPIRADO POR UMA FALA DO REPRESENTANTE DO MEC NO RIO, EX REITOR DA FLUMINENSE QUE FALAVA DO USO DE NOVAS TECNOLOGIAS PELOS ALUNOS AFICCIONADOS, RESOLVI QUE OS TRABALHOS FILMADOS OU ESCRITOS FOSSE COLOCADOS NA INTERNET. ESTE SEMESTRE MARCOU ESTA ENTRADA. MBM

To pragma – Interpretar o que faz Leaks.

Segredos de Estado.

Durante a guerra Alan Turing quebrou o código secreto dos alemães. Hoje a diplomacia, a comunicação entre os Estados exibe suas manobras, seus preconceitos, seus insultos. A internet é um espaço de democratização. A televisão, calcada nas ilusões e no fascínio da imagem, a insulta a cada dia. Os jornalistas da televisão que expõem o obsceno de Big Brother, o fim da intimidade, a insultam.Embora convivam com ela, falam o tempo todo de seus riscos. E nada sobre seu papel político novo.

Fala do centenário – ao receber a Medalha na UFRRJ em 16de dezembro de 2010.

As palavras faltam, mas vou tentar dizer alguma coisa.Não vou dizer que parece ontem. Mas direi sem nostaligia que, embora esteja na Universidade desde 1975 minha sensação, a percepção particular que tenho da minha atividade na Universidade é como se estivesse começando a cada dia.

Minha satisfação se deve  atualmente a transformação em curso por que passa a nossa Universidade, com a criação de novos cursos, uma atividade de expansão que coincide com as politicas positvivas de incentivo  as Universidades públicas do governo Lula tal como pode nos explicar antes seu sentido nacional O Minstro da Pesca.Isso sob   a admnistração dinâmica e esclarecida que temos sob a égide do reitor prof Ricardo Motta Miranda.

Do passado que me parece encerrar sentido atual vou reter a fora ativo  que significava a atividade da nossa associação de professore s em que a luta pelo ensino superior e gratuito de qualidade, era uma atividade que ia muito além da luta sindical . Tratava-se de um lugar onde a Universidade era discutida , onde colegas das diferentes áreas tomavam contato uns com os outros,. Ou ainda outros foros que reunima professores, estudantes e funcionários.

Para a filosofia o mais importante de sua atividade, desde a discussão  Iluminista sobre o esclarecimento, é a atividade de elucidação do presente, do momento atual, do que acontece hoje, do que somos hoje.

Toda atividade apresenta riscos e dificuldades. A criação de novos cursos na área de ciências humanas, com a necessidade novos prédios para aulas, laboratórios, salas para professores, novas instalações para restaurante dos alunos, tudo isto, ainda que calculado, medido implica em dificuldades, e problemas. Deixar a realização de uma nova universidade para um momento ideal, significa abdicar da possibilidade de agir. Porque mesmo as cicades mais bem planejadas enfrentam o desafio do real que desfaz o que uma geometria perfeita traçou no ideal.

Por isto a audácia para mudar é o que combina com os tempos atuais. Neste sentido a prudência é a audácia. Não esperar mais 30 anos , para expandir a Universidade.

Acrescento agora uma nota mais pessoal. Sei que sem o empenho pessoal o reitor, meus colegas do Instituto, o professor Nogueira , da professora Nidia, do Wsldomiro,  de Ricardo De Oliveira da História,d a professora Ana Dantas e o Professor Callado e muitos outros esta mudança não estaria em ocorrendo.
É verdade que o sentido histórico da Universidade , sua participação na modernização da sociedade brasileira,  são uma marca histórica da Rural,  sua ligação antiga com o Ministério da Agricultura , seu conjunto arquitetônco neo-colonial todos trazem a marca de sua importância que permanece. Mas uma Universidade se realiza plenamente na esfera universal do saber que compreende além das ciências exatas e da natureza também as ciências humanas e sociais e as artes . E hoje principalmente quando a articulação entre as ciências humanas e sociais com as ciências da nautreza é um fato seja através da filosofia, da sociologia, da história das ciências e das técnicas.

Procurei na minha atividade de ensino trabalhar por esta integração não só ensinando filosofia e história das ciências mas também tratando de editar para o Brasil textos fundamentais da minha disciplina, alguns com apoio de editoras universidtárias como a de um de Brasília e de São Paulo como também com o apoio do governo da França, através do apoio de seus Ministérios da Cultura e das Relações Exteriores , da Embaixada e do consulado no Rio. Entre muitos  outros autores  organizei principalmente até agora 6 volumes das obras de Michel Foucault, de um conjunto de 10 de seus Ditos e Escritos, além de editar na história e na filsofia da física eda biologia as obras de Georges Canguilhem e Alexandre Koyré, Este presidente da Associação Internacional de filosofia e historia da ciência, professor na França da Escola pratica de altos estudos e nos Estados Unidos professor do Instituto de Estudos \avançados da Universidade de Princeton. Participei de Congressos e Encontros Internacionais do Campo Freudiano na Europa e Na América. Na Europa principalmente em Paris e ||Bruxelas mas também em Malaga, Barcelona e Roma. Na América do Sil principalmente em Buenos Aires, mas também em Caracas e no Brasil, em São Paulo,. Salvador , Belo Horizonte e Curitiba e Florianópolis.. Falei nas Universidades do Amazonas, em São Luiz, em Recife, além de João Pessoa e Natal. (acréscimo escrito)

Aqui na Universidade além da atividade sindical tive muito prazer em particpar dos debates para a informatização de nossas atividades, para a criação do jornal e da Editora quando o processo de avaliação possuía uma dinâmina interna própria e que não nos dobrávamos a critérios quantitativos apenas para a avaliação de publicações.

Gostaria de agradecer a meus alunos de todos os cursos que seguiram meu ensino e especialmente a atenção e o interesse de meus alunos de Economia, Engenharia Florestal e História que seguiram meu curso por muitos e muitos anos.

Opção lacaniana publica fragmentos autorizados de Seminário de Lacan

lacan1Jacques Alain Miller publicou com um prefácio de Charles Yves Zarka fragmentos de um Seminário inédito de Lacan  no volume de Opção Lacaniana que publica as principais intervenções do Congresso da AMP realizado este ano em abril em Paris.

São textos de Lacan do Seminário 14, a lógica do fantasma. São trechos da lição 13 ( março); 16 e 18 (abril); 19, 20 e 21 Maio. A última lição publicada é de 31 de maio.

Zarka refer-se a menção que faz Foucault a Deleuze em sua conferência na PUC no Rio de Janeiro ao Anti´`edipoTrata-se da crítica ao “familialismo” da psicanálise feita por Foucault em sua confer~encia sobre o mito de Édipo, EM QUE ASSOCIA PODER E SABER- COM VÁRIOS NÍVEIS DE REVELAÇÃO DA VERDADE. lACAN DIZ ZARKA ” RECUSA-SE A IDENTIFICAR O SABER COM A VERDADE”. ZARKA DIZ QUE A LEITURA DE lACAN É TÃO SUTILMENTE POLÍTICA QUANTO A DE FOUCAULT.

è na lição 18 de 26 de abril que Lacan diz: ” o gozo pleno, o do rei de Tebassalvador do povo que eurgueu o cetro caído não se sabe como, sem descendência – por quê, esquecemos- , em suma, o que esse gozo recobre? A podridão que explode na peste. Sim, o rei èdipo realizou o ato sexual e reinou.

” E diz também Lacan. ” O gozo está no princípio da verdade.

 O lugar do Outro, introduzido por Lacan como lugar da verdade- ele di\  que o Outro é o corpo.

Ainda Lacan:

Édipo sabia algo que lhe fora formulado como pergunta. lacan diz que a figura simplista da resposta- as quatro patas, as duas pernas e o bastão do decrépito acrescentado no final implicam uma tese.

lacan diz que o sentido último do mito de èdipo é para Freud que o gozo é o culpado, o gozo é podre”.

Outra questão de Lacan: Qual é o gozo do mestre no mito forjado por Freud?

Um gozo empalhado, designa a funão original do Gozo para Freude, diz Lacan. Freud diz isso ao inventar o mito do pai e seu assassinato.

E mais uma tese sobre o corpo: o corpo é feito para ser marcado, é feito” para nele se inscrever algo que chamamos de marca.

èdipo diz Lacan não é um folósofo.Para nós ele é o modelo do que concerne para nós a relação do saber com o gozo.”

Mas há um lapso ou erro na grafia do nome de Lacan chamado no índice Lancan.

A rede social – The accidental billionaires

facebookA vida na Universidade e os percursos da criação obsessiva, esse pode ser um título alternativo para este filme.   A invenção de novos modos de relacionamento, de Nova York a Los Angeles.  Ou como inventar algo a partir de seu parceiro sintoma, de uma garota que te dá um fora. Ou ainda os caminhos de uma sociedade onde o direito atravessa tudo.

E o conflito com quem percebe que vc teve uma idéia original e que tem valor de mercado. E se vc perdeu uma idéia para outro, crie uma nova, diz Larry Summers.

Micro-sociedades, clubes, festas em que os caminhos do gozo parecem não ter limite.

Burle Marx e suas flores, plantas, quadros, objetos e casas: um delírio tropical

burle 1

Visitar o sítio Burle Marx é uma experiência especial . Como ver Inhotim em Minas. De Santo Antõnio da Bica na Colônia, com suas imagens e igrejinha resturada por Lúcio Costa as flores e plantas do Brasil e do mundo, com palmeiras de Madagascar a objetos de vidro da Alemanha, pedras do centro do Rio, pequenos recantos com espelhos d´agua, abelhas verdes, bastão do imperador, bromélias, peças do vale do jequitinhonha, é um mundo exótico no caminho de Guaratiba que se abre para os olhos dos visitantes que de toda parte acodem ao sítio. E não se vê tudo. O sítio pode receber muito mais gente. Deveria ter um restaurante interno e ser adminstrado como Inhotim. A guia que entende de Botânica recebe bem. è um mergulho num sonho verde e vermelho, no trópico civilizado trabalhado pelo gosto de um artista moderno. Fomos lá no dia 4 de dezembro de 2010.

Burle Marx deixou sua marca na paisagem do Rio. O aterro do Flamengo, o calcçadão de Copacabana fazem parte da figura atual da cidade.

Ele passou a interessar-se por plantas brasileiras em Hamburgo ao visitar o jardim botânico local onde nossas plantas eram mostradas com destaque.

As formas com que trabalhou Burle Marx nos jardins da Pampulha vão na direção do que se poderia chamar o espaço epistêmico-plástico da curva que inaugura Niemaeyer na arquitetura e a qual Burle Marx vai tabém conferir importância, contra o predomínio que durou um tempo da reta em Le Corbusier. Os seus jardins não se prendem a estrita geometria  retilinea da cité radieuse.

A exposição que organizou Lauro Cavalcanti sobre o artista em suas múltiplas facetas foi um marco na valorização de Burle Marx.

Mas o sítio deveria ter sua perspectiva ampliada. Pode ser uma espécie de Inhotim em Guaratiba, aberto a visitação de muito mais gente, com restarantes no seu espaço interno. Exige uma outra estrutura, bem mais ampla e moderna do que a administração atual lhe impôe. Não se pode mesmo ver uma grande parte do parque e muitas das construções apresentam problemas graves.