Arquivo para dezembro de 2009

Jacques Derrida: Voyous

Derrida nestas duas conferencias editadas por Galilée propôe uma razão e uma democracia futuras.

A questão se existem Estados Voyous ele responde que  yl n y a plus d´etat voyous ou yk n´y a que des

Etats voyous..

Jacques Chirac: Mon combat pour la paix

Os textos de Jacques Chirac sobre a política internacional foram reunidos pela editora Odile Jacob.

Boulez e suas Lições de música

Trata-se do terceiro volume dos Pontos de referência de Boulez com suas reflexões sobre o fenômeno musica. Publicado por Christian Bourgois por ocasião dos 80 anos de Boulez retoma suas lições no Colégio de França, seja sobre Berg, Debussy, Varese, Bartok e Stravinsky.

PIERRE BOULEZ E SEUS PONTOS DE REFERÊNCIA: IMAGINAR

Boulez, um dos artistas criadores mais importantes do século XX, além de regente é um pensador da música. O primeiro volume de seus Pontos de referência foi editado por Christina Bourgois por ocasião de seus setenta anos.

Deleuze e Francis Bacon

No seu Lógica da sensação Gilles Deleuze trata da obra de Francis Bacon. Suas considerações vão muito além da obra desta pintor. Ele aparentemente segue um roteiro cartesiano dizendo ir do simples ao mais complexo. Trata-se no entanto de uma ordem relativa porque como diz ele trata-se do ponto de vista de uma lógica geral da sensação. Todos os aspectos convergem para a cor, ou o que Deleuze chama a sensação “colorante”. É um elaboração  diversa que não se limita a definição da pintura seja pela linha ou pela cor, pelo traço e pela mancha que não se recobrem imediatamente

mma

A opção Samsão segundo Shimon Peres – ou o heroismo do desespero

Em entrevista recente Shimon Peres levanta o véu sobre a ambiguidade nuclear do estado de Israel.

Face a possibilidade de destruição do Estado de Israel  dever-se-ia recorrer a opção Samsão? è a questão que se colocou Peres – comenta o jornal Le Monde. Peres afirma que a função dos reatores nucleares de Israel é a de impedir a destruição do estado Judeu. Diz ele que isto funcionou até hoje muito bem.

Não era segredo para ninguém a posse por Israel de um dispositivo nuclear. Agora não é mais segredo.

A opção de Samsão que preso pelos filisteus, amarrado as colunas do templo, destroi o edificio e também é esmagado é a metáfora que sugere o uso das armas atômicas por Israel. Um opção que leva como possibilidade também a auto-destruição. Peres se manifestou no jornal Yediot Aharonot. Peres na verdade manifestou-se num filme que dá conta do projeto nuclear de Israel nos anos 60. Foi Ben Gurion que iniciou o projeto nuclear, inicialmente para fornecer energia elétrica.

Todos era m contra. O projeto custou cerca de 1 bilhão de dólares de hoje.

Tratava-se de criar um dispositivo de dissuasão. Peres  não fala de arma nuclear. Mas é disto que se trata. Para a Arms Control Association Israel dispôe de 75 a 200 armas.  Poderiam ser utilizados por mísseis, por aviôes ou por submarinos.

Um livro sobre a política do III Reich para o Oriente Médio

Foi uma derrota militar, na  batalha de Al alamein selou o destino da política  alemã sob Hitler no Oriente Médio Um livro estuda agora todo o contexto da ação alemã no Oriente Médio..Crescente fértil e cruz gamada: o Terceiro Reich, os àrabes e a Palestina é o livro de  Martin Cuppers e Klaus-Michael Mallmann.

 São as relações  da Alemanha com o mundo árabe que são estudadas aqui de um ponto de vista global. Elas estão centradas no período nazista e tratam das posições ideológicas comuns durante a segunda guerra mundial no Oriente.

A Palestina a partir de 1929 torna-se o lugar em que se afrontam, árabes e a minoria judaica.

A política externa de Hitler vai sustentar de forma indireta o nacionalismo árabe em busca de libertação frente as potências ocidentais. Do ponto de vista ideológico conivências vão se estaqbelecer na Síria, no Egito e na Libia onde se exalta a figura do Fuherer e se chega a compará-lo ao profeta Maomé! O lider dos árabes da Palestina  al Husseini, apoia os nazistas durante a guerra e utiliza como referência a obra elaborada na Rússia contra os judeus, o Protocolo dos sábios de Sion.

Em 1941 os alemães intervém na Líbia com o objetivo de expulsar os inglêses. Há planos também de exterminar os judeus. O soberano do Marrocos, Mohammed v vai se opor a estes.Possuia inclusive um assesor judeu, como era hábito naquele país.

A persistência de alguns temas nazistas em alguns movimentos islâmicos se explica a partir desta ótica.

Há no entanto que não perder de vista que a idéia de que a palestina era uma terra sem povo e os judeus um povo sem terra é fundamentalmente errada.

O livro foi publicado pela Verdier que publicou O sobrinho de Lacan de Jacques-Alain Miller editado em português pela Forense Universitária.

A terceira dimensão entra no circuito do cinema

Na França um circuito de cinemas com 3D está sendo instalado. Aqui algumas salas exibem Avatar em 3D no Rio de Janeiro. Ao que parece o circuito Severiano Ribeiro  terá salas em 3D permanentemente.

Da Alexandria de Durrel a Nagib Mahfuz : Entre dois palácios

Alexandria, centro do mundo helenístico termina com Cleópatra VII e sua aventura com César e Marco Antônio. O Egito com a civilização faraônica é um terra de mais de 5000 anos de história. Vem depois da era cristã um outro Egito, islâmico que conhece não menos mutações do que os outros.

 E a cidade do Cairo é o cenário da arete narrativa de um escritor que segundo os ditos da academia sueca funda ” uma arte narrativa árabe que vale para toda a humanidade”.  Nagib Mafuz ( 1911-2006) foi agraciado com o prêmio Nobel de Literatura em 1988. Foi objeto de um atentado por um extremista islâmico no ano seguinte.

Ora, claramente realístico, ora evocativamente ambíguo….foi traduzido para o português diretamente do árabe.

O MUSEU DO PONTAL : ARTE POPULAR BRASILEIRA

Jacques van den Beuque reuniu na Casa do Pontal uma extraordinária coleção de objetos, imagens, feitos de cerâmica ou metal que figuram a diversidade da arte popular brasileira. A parte de Pernambuco possui especial relevância com os muitos objetos de Mestre VItalino.

Uma exposição especial do ceramista do agreste pernambucano com fotos de Pierre Verger, muito bem organizada e com vídeos de alta qualidade lá está até o começo do ano próximo.

A vista de uma parte da região do Pontal com vegetação exuberante e belas montanhas, num clima de tranquilidade dão ainda mais beleza aos objetos e seres como anjos, santos como São Jorge, ou figuras da umbanda e macumba, os orixãs, ou ainda Santos Dumont e mesmo até o foguete e a cápsula que chegou a lua Apolo XI! Há eex-votos mil e presépios com figuras sem conta. Todas as profissões, ou quase todas estão ali representadas. E uma sala com arte erótica divertida e irreverente em que a coisa fálica aparece em sua face cômica e humana, demasiado humana.