Arquivo para outubro de 2009

Dumezil e os deuses nórdicos

O modelo tripartire das religiões indo-europeias elaborado por Dumezil extende-se a mitologia nórdica. Ele utilizou para isto também fontes célticas e romanas. Uma obra que reune seus principais ensaios sobre os deuses nórdicos foi editada pela Universidade de California.

Arte e psicose- a coleção de Prinzhorn

A coleção em Heidelberg de obras de psicóticos- cerca de 5000 peças reunidas pelo psiquiatra e historiador da arte Hans Prinzhorn esteve exposta em parte numa galeira Londrina e tornou-se interessante livro publicado pela Universidade da California.

Bettina Claussen responsável pela exposição observa, numa cronologia situada no século XX, que a partir de 1905 artistas na França, Bélgica Itália, àustria e Alemanha revolucionaram  sua técnica artística. Este momento deve ser situado num eixo mais amplo, incluindo também a Rússia e mesmo países da América.

Na Alemanha à referência de Bettina é o grupo  Der , Blaue Reiter que em exposições e no seu Almanac muit fez pela nova arte.Exploração do inconsciente, ou o que para Paul Klle seria o ” começo primal da vida” que vão orientar os artistas até os anos 20.

Será neste contexto que um museu de ” arte patológica ” será montada na clínica psiquiátrica da Universidade de Heildelberg no começo dos anos 20. Ele seguirá a tendência dos colecionadores de arte psiquiátrica. Pouco depois Prinzhorn vai publicar seu livro Arte dos doentesmentais. Este livro será no entre-guerras seja na Europa ou nos USa um fonte importante de inspiração.

Na década de 30 Lacan vai observar que o sintoma vai ter efeitos de criação.

Bettina vai investigar a história interna da coleção Prinzhorn, com material nova, e até hoje pouco estudada.

Fragmento- Romance – 1980

Eis aqui as memórias de alguém que escreve sobre um outro, cuja constituição o fez viver além de suas forças, limitado talvez por mil decisões do destino. De alguém cujos sonhos voaram muito alto mas que se chocaram com as barreiras, com os limites de uma realidade impenetrável e fantasmática. De alguém que sonhou em modelar a realidade e até onde pode, por certas ações que pertencem ao domíno da palavra e da praxis, impõe o seu selo sobre os fatos. Trata-se de alguém cuja vocação de artista não teve até agora uma solução, uma abertura adequada.

Talvez seja falso considerar a realidade impenetrável. Ela não o era, mas sim resistente, desconhecida, impossível. E quando chegou, chegaria a hora da verdade?

Este real, não devemos tomá-lo como Rilke, como algo alheio, estranho. Mas como algo que resiste, que insiste, que existe.

Last train to Menphis – Elvis Presley por Peter Guralnick

elvis_presleyNos Estados Unidos dos anos cinquenta Guralnick traça a ascenção de Elvis Presley-1935-1977.. O tom queixoso das baladas de Elvis,  esta biografia traça  a partir das próprias palavras de Elvis sua paixão pela música que  com o rock vai ter um impacto mundial, È a primeira grande biografia do rock-and roll. O livro de Guralnick foi editado por Little, Brown and Company.

Guralnick recebeu o prêmio do New York Times “Notable Book of the Year”.

Cerimônia na Universidade Rural- Homenagens- Niemeyer

Hoje a Universidade  Rural  concedeu o título de doutor honirs causa a várias personalidades. A cerimônia marcou a comemoração dos cem anosno curso da comemoraçãodos cem anos do ponto de origem da Universidade em 1909 com a criação  das Escolas Nacionais de Agronomia e Medicina Veterinária .O primeiro a quem o título foi concedido foi   Oscar Niemeyer.  Em seguida um  biólogo da USP que trabalhou na UR por dois anos e que agradeceu de viva voz a homenagem de forma comovida e discreta. O ministro da Educação do govêrno Itamar Franco também foi agraciado.

Uma medalha comemorativa feita pela Casa da Moeda marca este evento.  Na cerimônia as matrizes das medalhas foram inutilizadas pelo reitor Ricardo Miranda e pelo diretor de Assuntos financeiros da Casa da Moeda, professor da UFRRJ, Eduardo Scaletski.

O primeiro homenageado pela Universidade foi o Presidente Lula. Ele  sem dúvida merece a homenagem pelo seu esforço em renovar a educação pública superior no País,  dinamizar nossa economia adormecida  há décadas e dar ao Brasil um novo status no cenário internacional. Estas razões já seriam mais do que suficientes para que ele recebece o título. No entanto, o Presidente da República tem como princípio não aceitar estas homenagens no exercício do cargo. Neste caso ela é plenamente merecida pois a expansão atual é a maior desde a criação do atual campus de Seropédica em 1947.

 Niemeyer com seus 101 anos é um caso a parte. Ele incarna virtudes e um gênio criativo que dão ao Brasil um lugar especial no combate das formas  no plano da arte que caracterizou o século XX e que ganha mais força e radicalidade no século XXI. O  Gustavo Dutra estava cheio.

Eu e Fábio lemos o texto referente a Niemeyer de forma enfática e viva.

Fiquei bastante satisfeito com nosso desempenho. A festa prosseguia quando sai de lá um pouco antes das 18.00.

OSCAR NIEMEYER – DOUTOR HONORIS CAUSA DA UFRRJ

oscar-niemeyer e museu da arte contemporaneaoscar_niemeyer-catedral_de_brasilia-749881Estamos felizes em conceder o título de Doutor Honoris Causa a Oscar Niemeyer. Esta concessão se apóia na coerência profissional  desse gênio inovador que vem contribuindo decisivamente para os rumos da arquitetura contemporânea, em cujo entendimento sustenta com clareza, firmeza e ponderação a linguagem arquitetônica como uma manifestação artística. As obras produzidas pelo gênio de Niemeyer na arquitetura se confundem com o Brasil, são um símbolo de nosso país, e das cidades em que as fez, mas elas vão além, seja em Belo. Horizonte, a Pampulha, o palácio do Congresso e a catedral em Brasília, o ministério da educação no Rio, o centro cultura le Havre , a sede da ONU feita com Le Corbusier. em New York. A luta de Niemeyer pela justiça social levou-o ao exílio e a criação em outras  cidades e países: em paris a sede do Pcf, na Argélia a universidade de Constantine, na Malásia a mesquita estatal Penang, a sede da Mondadori na Itália. Niemayer ultrapassou o funcionalismo e marcou pelo uso da curva – que lembra as  das montanhas do rio e o corpo feminino , além de sua dimensão cósmica.  Como diz ele, o universo curvo de Einstein. Teve uma profunda e duradoura influência na arquitetura contemporânea pela pureza e criatividade  de sua forma  e seu uso inventivo do concreto armado. È o que atestam a arquitetura  de Santiago Calatrava Frank Gehry, Zahad Hadid, e Tadao Ando.

Esta iniciativa se origina do Departamento de Letras e Ciências Sociais do Instituto de Ciências Humanas e Sociais, procedente do recém-criado curso de Belas Artes desta universidade, que marcha rumo ao seu processo de consolidação no cenário regional e nacional. Neste sentido, estamos seguros em compartilhar com a nossa Administração Superior e seu egrégio Conselho Universitário e demais instâncias, essa outorga a Oscar Niemeyer, centenário e incansável criador e humanista que tanto dignifica a cultura brasileira no cenário mundial.  Desta que já fora a Universidade Rural do Brasil e agora UFRRJ, em cumprimento do centenário de sua origem

TEXTO DE FABIO MACEDO E MANOEL BARROS DA MOTTA

Niemeyer – doutor honoris causa da Rural

niemeyer

Museu_Oscar_Niemeyer_2_Curitiba_Brasil

As obras produzidas pelo gênio de Niemeyer na arquitetura se confundem com o Brasil, são um símbolo de nosso país, e das cidades em que as fez, mas elas vão além, seja em Belo. Horizonte, a Pampulha, o palácio do Congresso e a catedral em Brasília, o ministério da educação no Rio, o centro cultura le Havre , a sede da ONU feita com Le Corbusier. em New York. A luta de Niemeyer pela justiça social levou-o ao exílio e a criação em outras  cidades e países: em paris a sede do Pcf, na Argélia a universidade de Constantine, na Malásia a mesquita estatal Penang, a sede da Mondadori na Itália. Niemayer ultrapassou o funcionalismo e marcou pelo uso da curva – que lembra as  das montanhas do rio e o corpo feminino , além de sua dimensão cósmica.  Como diz ele, o universo curvo de Einstein. Teve uma profunda e duradoura influência na arquitetura contemporânea pela pureza e criatividade  de sua forma  e seu uso inventivo do concreto armado. È o que atestam a arquitetura  de Santiago Calatrava Frank Gehry, Zahad Hadid, e Tadao Ando.

texto meu – Manoel Barros da Motta

Falando sobre a situação do Rio depois dos conflitos nas favelas

A bela cozinheira massacrou mais uma vez a gramática. A televisão deveria fornecer professores de lingua portugêsa para seus repórteres mais importantes. Há erros primários. Há uma ética do bem dizer esquecida na tv.

O mundo tomou conhecimento dos últimos confrontos com derrubada de helicóptero e muitas mortes.

Outra questão surgida na entrevista feita pela cozinheira: porque o  ufanismo ao tratar das soluções para os problemas da população destas áreas? ” O rio é lindo?” Como disse alguém ” accablant de beauté”. Mas wonderful city, ville merveilleuse”? A dimensão dos problemas vividos vai além do visível da beleza. Neste caso trata-se de uma fronteira diante do horror, como na tragédia.

Perspectivas de Thierry de Montbrial

templo-do-ceu Desde a criação da revista ou anuário Ramsés Montbrial, diretor do IFRI, escreve a cada ano uma espécie de avaliação geral do estado dos problemas do mundo hoje. Estes textos, escritos em geral em julho, estão sempre com uma certa decalagem com as últimas transformações da conjuntura atual Na sua última avaliação  êle concede enorme importância ao que de novo representaria a posição de Barak Hussein Obama.

Vamos nos deter mais minuciosamente no que diz sua última análise, posteriormente.

Interessante notar que ele deu bastante importância a tsunami e ao Katrina.

Na Europa a posição da Rússia e o problema da União Européia, no Oriente, a China e o Japão, o islã político, a situação da economia internacional, as variações da política norte-americana são algumas de seus temas constantes. A situação da América Latina não parece preocupar muito Montbrial. A primeira letra do Bric não diz grande coisa para êle.

Os “Esboços de Mitologia” de G. Dumezil- A sequência vocal e apolínea

dumezilGeorges Dumezil começou a formular em 1938 os estudos sobre fragmentos ddo corpus da ideologia, teologia e mitologia indo-européias. As três funções hierárquicas da ideologia indo-européia, ele as estudou em Jupiter, Marte, Quirino desdobrado em vários volumes, em Mitra-Varuna e no Nascimento de Arcanjos. Ele inventoriou também os aspectos complementares da soberania, mágico e jurídico. Estas pesquisas Dumezil as completou posteriormente, as precisou, as corrigiu e as coordenou.

Na fase final de sua obra ele passou a redigir esboços, mais sintéticos que os primeiros livros, calcado na idéia que é preciso depositar logo no saber coletivo o que se elaborou individualmente, porque fornos crematórios, catástrofes e guerras ameaçam os homens e as obras.

 A Índia Védica, o Irã, Roma e a Escandinávia foram os quatro testemunhos fundamentais da realidade histórica e ideológica dos indo-europeuspré-históricos. Gregos e Celtas foram prologamentos dos principia theologica destes povos.

No fim da vida Dumézil vai produzir uma série bem diversificada de novos esboços de mitologia indo-européia. Uma série que se caracteriza pela sua extraordinária  beleza é a que ele dedicou principal a voz e fala na Ìndia e principalmente a sequência de Delos do Hino Homérico a Apolo e depois a ao episódio de Circe na Odisseia. Mas também a história mítica dos primeiros séculos de Roma é estudada assim como as relaçoes da teoria medieval das três ordens com a ideologia indo-européia. Nesta fase Dumezil formula o problema e fornece um meio de resolvê-lo convidado o leitor a desenvolvê-la e colocar algo de seu na pesquisa.

Apolo Délico

Dumézil lembra a natureza compósita do hino homérico a Apolo. A primeira parte, de que Homero se proclama autor, contém 181 versos narrando o nascimento do filho de Jupiter e Latona na ilha de Delos. trata-se de uma justificativa da primazia e do esplendor do santúário de Delos.

A sequência pítica, é bem mais longa refere-se a Delfos. Dumézil considera que ela revela menos talento em sua composição.

É o próprio deus infante que, no momento de seu nascimento dramático, descreve sua teologia.

Dumezil propõe que se estude do ponto de vista que ele isola o dossiê arqueológico de delos. A proposta é que se procure nos Apolos de todos os tempos e lugares o que corresponderia possívelmente ao quadro trifuncional ou mesmo quadrifuncional como ele desenvolve no artigo dedicado a Apolo músico.

Dumezil menciona os trabalhos de\Atsushiko Yushida e de Bernard Sergent. Ele remete ainda quanto aos oráculos ao livro de Pierre Amandry, La mantique apollinienne, de que existe um reprint.

Ao tratar das qualidades de Apolo segundo Homero Dumezil interpreta a posição do Deus como caracterizada essencialmente pela moderação. O livro de Detienne, no seu conjunto, “Apollon, le couteau a la main”, vai contra esta tese e radicalmente.